Festival de Veneza abre com thriller espacial estrelado por Clooney e Bullock

Clooney e Bullock, na sessão de fotos do filme em Veneza

"Gravity", filme de ficção científica dirigido pelo mexicano Alfonso Cuaron e estrelado por George Clooney e Sandra Bullock, abrirá nesta quarta-feira à noite o 70º Festival de Veneza, o mais antigo festival de cinema do mundo.

Críticos e jornalistas receberam muito bem este filme de ação cheio de suspense, que foi aplaudido após sua projeção no Lido, ilha da célebre laguna onde o festival é realizado a casa ano.

Após uma violenta tempestade durante a noite, Lido onde Luchino Visconti filmou "Morte em Veneza", acordou sob o sol e à espera das primeiras estrelas, incluindo George Clooney e Sandra Bullock que vão cruzar o tapete vermelho para a abertura oficial do festival esta noite.

Fora de competição, "Gravity" apresenta um astronauta em fim de carreira (George Clooney) e uma especialista em engenharia médica (Sandra Bullock), largados no espaço, sem esperanças de serem resgatados após a destruição de sua nave espacial.

Fazendo com que o espectador passe simultaneamente do interior do capacete de cada astronauta ao exterior, no espaço sideral, o diretor consegue criar as sensações de asfixia e ansiedade sentidas pelos protagonistas, o que é reforçado pelo 3D.

Várias vezes indicado ao Oscar e premiado duas vezes em Veneza, Alfonso Cuaron, de 51 anos, ganhou reputação internacional e é considerado um dos mais talentosos diretores mexicanos de sua geração junto a Guillermo del Toro e Alejandro González Iñárritu. Seu mais recente filme "O Filho do Homem", foi em 2006.

No total, cinquenta filmes realizados por diretores consagrados do cinema mundial, bem como por jovens talentos, serão apresentados nos 10 dias de festival.

Vinte filmes, aos quais será somado um filme "surpresa", vão competir pelo Leão de Ouro, que será concedido em 7 de setembro por um júri presidido por Bernardo Bertolucci, de 73 anos, e composto, especialmente, pelas atrizes francesa, alemã e americana Virginie Ledoyen, Martina Gedeck e Carrie Fisher (Star Wars).

Questionado pela AFP sobre a seleção oficial, à margem do festival, Bernardo Bertolucci considerou que a Mostra "tira sua força dos riscos que assume", garantindo estar "ansioso para ver todos os filmes programados".

Se o glamour estará presente no tapete vermelho este ano com uma forte presença de cineastas e estrelas de peso (Sarlett Johansson, Nicolas Cage, Matt Damon...), o Festival se anuncia sombrio do ponto de vista dos temas abordados, reflexo de crises "econômicas, sociais e familiares" no mundo, alerta o diretor do festival, Alberto Barbera.

Disputam o Leão de Ouro o diretor britânico Stephen Frears ("Filomena") e Terry Gilliam ("The zero theorem"), o israelense Amos Gitai ("Ana Arabia") e o japonês Hayao Miyazaki ("Kaze Tachinu"), único asiático em competição com o cineastra de Taipei Tsai Ming-Liang ("Jiaoyou").

O diretor Philippe Garrel representará a França em competição com "La jalousie", uma história de amor e casal, com dois de seus filhos Esther e Louis Garrel, e a atriz Anna Mouglalis.

Thierry Ragobert, ex-colaborador de Cousteau, fechará o festival, também fora de competição, com "Amazônia", uma ficção animal em 3D.

É a Itália que terá a honra de abrir a competição quinta-feira com a grande diretora de teatro Emma Dante, que irá apresentar o seu primeiro filme, "Via Castellana Bandiera", que trará 24 horas da vida de duas mulheres que se recusam a ceder passagem ao volante de seus carros.

Também competindo quinta-feira: "Tracks", co-produção australiano-britânica do diretor americano John Curran, adaptado de um romance de Robyn Davidson, estrelado por Mia Wasikowska ("Stoker") e Adam Motorista ("Lincoln", "Frances Ha"): a travessia do deserto australiano, no final dos anos 70, de uma jovem mulher acompanhada por quatro camelos.

Carregando...
 

YAHOO CINEMA NO FACEBOOK